Fundamentos do Design Tecnológico em Ambientes Inteligentes - P03653 

Período: 1o Semestre de 2011
Módulo: Módulo I - Conceitos Fundamentais
Área de Concentração: Processos Cognitivos e Ambientes Digitais
Linha de Pesquisa: Design Digital e Inteligência Coletiva
Professor: Prof. Dr. Hermes Renato Hildebrand
Semestre: 1o semestre de 2010
Horário: 3ª feira, das 19h00 às 23h00
Créditos: 3
Carga Horária: 255 horas

<<< Voltar Menu Principal

<<< Aula a Aula

1. Descrição e ementa da disciplina

A disciplina busca desenvolver os fundamentos da noção de design expandido que se define na era da computação ubíqua e pervasiva, com vistas a uma compreensão crítica e ao fomento para o desenvolvimento de soluções inovadoras em uma sociedade em constante transformação. Para tanto, estabelece um campo de discussão interdisciplinar a partir de estudos que tratam de modo crítico a origem e desenvolvimento do design, estéticas tecnológicas, inteligência coletiva e gestão do conhecimento em paralelo com a revolução digital. Serão trabalhados os conceitos contemporâneos de ambientes inteligentes, fixos e móveis, tais como interação, imersão, instalação artísticas, controle e vigilância, acoplamento estrutural, cartografia e método cartográfico, mobilidade, nomadismo, virtualização, biotecnologia e biodiversidade.

2. Aula a Aula - Material Disponível para Consulta

Aula 01: Introdução e Conteúdo Programático

Aula 02: Processo de Criação e Cognição

Aula 03: Comunicação - Mundo Codificado - Villém Flusser

Aula 04: As Artes no Pós-Modernismo

Aula 05: Modernidade e Pós-Modernidade - Laymert Garcia

Aula 06: Autor, Autoria Coletiva e Cultura Undergroud

Aula 07: O Paradigma das Redes

Aula 08: Complexidade e Método Cartográfico

Aula 09: Narrativas Digitais e Games

Aula 10: Feriado

Aula 11: Seminário 01

Aula 12: Seminário 02:

Aula 13: Seminário 03:

Aula 14: Seminário 04:

Aula 15: Seminário 05:

Aula 16: Feriado

Aula 17: Seminário 06:

Aula 18: Seminário 07:

Aula 19: Finalização da Disciplina Entrega das Monografias

3. Bibliografia

3.1. Bibliografia básica

BACHELARD, Gaston. Poética do Espaço. São Paulo: Martins Editora, 2008.

DAVIS, Douglas. Art and the future: a history - prophecy of collaboration between Science, Technology and Art. New York: Praeger Publishers, 1973.

PARENTE, André. Enredando o pensamento: redes de transformação e subjetividade. In: Parente, A. (org.) Tramas da rede. Porto Alegre: Sulina, 2004.

FLUSSER, Vilém. O mundo codificado - por uma filosofia do design e da comunicação. São Paulo: Cosac e Naify, 2007.

HOWES, David (ed.) (2005). Empire of the senses - the sensual culture reader. Oxford: Berg.

KAHN, Douglas (2001). Noise Water Meat - A history of sound in the arts. Cambridge: MIT Press.

KITTLER, Friedrich. A história dos meios de comunicação. In: Lúcia Leão (org.). O chip e o caleidoscópio: reflexões sobre as novas mídias. São Paulo: Editora SENAC, 2005.

LEÃO, Lucia. O labirinto da hipermídia: Arquitetura e navegação no ciberespaço. São Paulo: Iluminuras, 1999.

LEÃO, Lucia (org.) (2002). Interlab. Labirintos do pensamento contemporâneo. São Paulo: Iluminuras/Fapesp.

MANOVICH, Lev. Novas mídias como tecnologia e idéia: dez definições. In: Lúcia Leão (org.). O chip e o caleidoscópio: reflexões sobre as novas mídias.São Paulo: Editora SENAC, 2005.

NUNES, Maíra Fernandes Martins. Da invenção à inversão do autor: copyleft, all rights reversed. 2010. Tese (doutorado) - Universidade Estadual Paulista, Faculdade de Ciências e Letras de Araraquara, 2010. Disponível em: <http://hdl.handle.net/11449/100083>. Acesso em 08 Ago 2017.

RUSH, Michael. Novas Mídias na Arte Contemporânea. São Paulo: Martins Fontes, 2006.

SANTAELLA, Lúcia (2007). Linguagens liquidas na era da mobilidade. São Paulo: Paulus.

SANTAELLA, Lúcia. Estética: de Platão a Peirce. São Paulo: Paulus, 2008.

SANTOS, Laymert Garcia. Politizar as novas tecnologias: o impacto sócio-técnico da informação digital e genética. São Paulo: Editora 34, 2003.

ZIELINSKI, Siegfried. A arqueologia da mídia. In: Leão, Lúcia (org.). O chip e o caleidoscópio: reflexões sobre as novas mídias. São Paulo: Ed. SENAC, 2005.

3.2. Bibliografia Adicional

BAIRON, Sérgio e PETRY, Luís C. Hipermídia. Psicanálise e história da cultura. São Paulo: Mackenzie e EDUCS, 2000.

COUCHOT, Edmond. O embarque para Cíber: mitos e realidades da arte em rede. In: Lúcia Leão. (Org.). O chip e o caleidoscópio: reflexões sobre as novas mídias. São Paulo: Editora SENAC, 2005.

DUARTE, Fábio, QUANDT, Carlo e SOUZA, Queila. O tempo das redes. São Paulo: Perspectiva, 2008.

GELERNTER, Mark. Sources of Architectural Form: A Critical History of Western Design Theory. Manchester: Manchester University Press, 1995.

GERE, Charlie. Digital Culture. London: Reaktion Books, 2002.

HOLLIS, Richard. Design gráfico: uma história concisa. São Paulo: Martins Fontes, 2000.

LEVIN, Thomas Y.; FROHNE, Ursula, WEIBEL, Peter (eds.) CTRL [SPACE] - Rhetorics of Surveillance from Bentham to the Big Brother. Karlsruhe: ZKM / Massachussets: MIT Press, 2002. 

LUNENFELD, Peter e LAUREL, Brenda. Design Research: Methods and Perspectives. Cambridge. Cambridge, MA: MIT Press, 2003.

MAEDA, John. Design by Numbers. Cambridge, MA: MIT Press, 1999.

MANOVICH, Lev. Novas mídias como tecnologia e idéia: dez definições. In: Lúcia Leão (org.). O chip e o caleidoscópio: reflexões sobre as novas mídias.São Paulo: Editora SENAC, 2005.

MINKER, W.; WEBER, M.; HAGRAS, H.; CALLAGAN, V.; KAMEAS, A.D. (eds.). Advanced Intelligent Environments. New York: Springer, 2009.

MULDER, Arjen and BROUWER, Joke (eds). Interact or Die!‘There is drama in the networks.’. Rotterdam: V2 Publishing/NAi Publishing, 2007.

MURRAY, Janet. Hamlet no holodeck: o futuro da narrativa no ciberespaço. São Paulo: Unesp: Itaú Cultural, 2003.

OKADA, Alexandra. Cartografia Cognitiva. Cuiabá: Editora KCM, 2008.

WERTHEIM, Margaret. Uma história do espaço. De Dante à internet. Rio de Janeiro: Zahar, 2001.

POPPER, Frank (1983). Art of the eletronic age. New York: Harry N. Abrams, Inc., Publishers.ZIBEL, Carlos. Além das Formas. São Paulo: Annablume, 2010.

4. Avaliação Processual

  • postura nas aulas;
  • realização de leituras;
  • realização de exercícios;
  • análises e discussões;
  • seminário de pesquisa;
  • monografia.